Incentivo para ter sonhos

“Minha história como educadora social começou em 2016, quando ouvi no rádio que haveria seleção para educadores do Instituto Crescer Legal. Ao buscar mais informações, me identifiquei bastante com a proposta do curso, achei que era a minha cara. Hoje já estou na segunda turma do curso de aprendizagem e em cada edição a experiência é diferente. Os desafios são diários e estão sempre presentes, mas, quando temos um olhar interdisciplinar, estamos abertos aos vários contextos e aliamos os saberes do jovem, contribuímos com o seu desenvolvimento. Além disso, entre os dois períodos como educadora referência, tive uma experiência bem interessante com o Programa Nós Por Elas – A voz feminina do campo, direcionado a jovens egressas do Programa de Aprendizagem Profissional Rural, que desenvolveram habilidades de comunicação e tiveram ampliada a visão crítica. Uma das coisas mais gratificantes de ser educadora social é perceber a evolução e o amadurecimento dos aprendizes. Eles crescem no sentido de valorizar o interior e o que suas famílias possuem e, não raro, se sentem orgulhosos em serem do meio rural. Para mim, estar como educadora social faz parte da minha história vencedora e sinto que minha maior contribuição é motivar os jovens para que eles tenham sonhos e que busquem conquistar seus objetivos.”

Ana Paula Justen, bióloga, é educadora da turma de Vera Cruz (RS) de 2019. Já foi educadora da turma de Venâncio Aires (2016-2017) e do Programa Nós por Elas – A voz feminina do campo, em 2018.

Últimas Histórias