Patrimônio de gente grande

19/03/2018

“Para mim, foi uma surpresa bem grande descobrir o patrimônio de minha família. Como meus pais são pequenos produtores rurais e trabalham na lavoura, eu achava que a propriedades era apenas algo de onde tiravam o sustento. Então, quando comecei a fazer uma tabela com os bens rurais, somando terras de lavouras e de mata, galpões, estufas, máquinas e implementos agrícolas, animais e a casa onde vivemos, fui me surpreendendo e percebi que o que temos vale muito. Antes disso, eu até tinha consciência de que não éramos muito pobres, mas também não imaginava que tínhamos um patrimônio tão elevado. Meus pais, que sempre trabalharam na agricultura e seguiram as atividades dos pais deles, gostam bastante de morar na roça, acham que a vida na localidade de Linha Sítio, no interior de Vera Cruz, é mais tranquila. Eu até gosto da vida rural, mas ainda pretendo fazer outras coisas, talvez uma graduação, que pode ou não ser ligada à atividade rural. Por enquanto, estou em casa, terminei o ensino médio e ainda não fui para a faculdade. A minha irmã mais velha tem 20 anos e já foi morar na cidade e trabalha com atendente de farmácia.”

Maira Bugs, 17 anos, participou do Programa de Aprendizagem Profissional Rural e do projeto Donas da voz, do Instituto Crescer Legal, de Vera Cruz (RS).

Últimas Histórias