Voltar

Jovens aprendizes e egressos compartilham experiências

27.09.2018

Setembro 2018 – O 2º Encontro Regional de Aprendizes Rurais, promovido pelo Instituto Crescer Legal, reuniu cerca de 200 pessoas nesta quinta-feira, 27 de setembro. Diferentemente da primeira edição, realizada em 2016 e que reuniu os primeiros aprendizes do Instituto, desta vez, os egressos das turmas piloto do Programa de Aprendizagem Profissional Rural também participaram, juntamente com os jovens das sete turmas atuantes do Instituto, nos municípios de Boqueirão do Leão, Candelária, Santa Cruz do Sul, Sinimbu, Vale do Sol, Venâncio Aires e Vera Cruz. Educadores, equipe pedagógica, apoiadores e associados do Instituto também acompanharam o evento sediado na Associação Atlética Souza Cruz, em Santa Cruz do Sul.

O diretor presidente do Instituto, Iro Schünke, abriu a programação em tom emocionado. “Tenho grande identificação com vocês e as atividades do Instituto têm me trazido muitas alegrias. Reunir egressos e jovens aprendizes é motivo de orgulho”, falou Schünke aos jovens, contando também um pouco de sua própria trajetória.

Segundo a coordenadora do Instituto, Nádia Fengler Solf, a segunda edição cumpriu com o objetivo de compartilhar vivências entre os jovens. “Os egressos compartilharam suas escolhas, caminhos e realizações um ano após a formatura, e nossos atuais jovens aprendizes puderam demonstrar as atividades que vem sendo realizadas pelas turmas em um evento do jeito do Instituto, com rodas de interação e protagonismo dos jovens”, destaca.

O Instituto está compilando depoimentos dos participantes do Programa de Aprendizagem Profissional Rural. Acesse em: www.crescerlegal.com.br/historias

SAIBA MAIS – Entre as ações do Instituto, o Programa de Aprendizagem Profissional Rural já formou 84 aprendizes em gestão e empreendedorismo e em 2018 tem a participação de quase 130 jovens com idades entre 14 e 17 anos. Contratados como aprendizes por indústrias associadas ao Instituto, eles recebem remuneração e certificação de acordo com a Lei de Aprendizagem (Lei 10.097/2000 e Dec. 5598/2005). No entanto, eles não realizam qualquer atividade nas empresas. Toda a carga horária é cumprida no âmbito do curso de formação, tanto na instituição parceira, junto à família, na comunidade, como em viagens pedagógicas e visitas técnicas. O curso tem duração de um ano, com 4 horas diárias de segunda a sexta-feira, totalizando 920 horas de atividades teóricas e práticas em gestão. No programa das atividades consta o estudo e análise das propriedades rurais, diagnóstico do município e da região com estudos dos arranjos produtivos locais e mapeamento das parcerias locais e alianças estratégicas. Os adolescentes também desenvolvem trabalhos em grupo envolvendo as famílias e a comunidade e estudos de viabilidade de desenvolvimento de produtos de gestão no meio rural.

Fotos: Junio Nunes
https://lion.box.com/s/pyr6lhrsit0ocn2rdxjj5rrxfaab5mik

Contato com a imprensa:

Loader